Mercado

China volta a comprar soja dos EUA e demanda externa por produto brasileiro diminui

Cotação da soja em Paranaguá caiu 0,26% na parcial de setembro, aponta o Indicador Cepea

14/09/2020 - 11:40 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a China voltou a demandar maiores volumes de soja dos Estados Unidos, cenário que evidencia um progresso na fase 1 do acordo comercial entre os países. 

Com isso, após mais de dois anos, os preços futuros de soja voltaram a operar acima dos US$ 10,00/bushel na CME Group (Bolsa de Chicago). Além da maior demanda, a alta externa esteve atrelada também à menor produção nos Estados Unidos. 

Com o maior interesse pela soja dos EUA, a demanda externa pelo produto nacional diminuiu, pressionando os valores nos portos brasileiros, segundo informações do Cepea,. Em Paranaguá (PR), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa caiu 0,26% na parcial de setembro (até o dia 11), a R$ 137,40/sc na última sexta-feira (11).

Quanto aos embarques, conforme dados da Secex, o Brasil escoou, em agosto, o menor volume de soja e derivados desde fevereiro deste ano. Do grão, foram exportadas 6,23 milhões de toneladas, de farelo, 1,49 milhão de toneladas e de óleo de soja, 68,55 mil toneladas.

 

Informações por Cepea

Compartilhar

Últimas Notícias