Mercado Internacional

Estados Unidos mantêm veto a importações de carne bovina in natura brasileira

Governo brasileiro continua negociações com o país norte-americano na expectativa de reverter a situação

05/11/2019 - 15:30 | Por Pâmela Machado* - SBA

Na última segunda-feira (4), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou que os Estados Unidos mantiveram o veto à importação de carne bovina in natura do Brasil. Desde 2017, os Estados Unidos (EUA) suspenderam as importações de carne bovina in natura do Brasil, devido a detecção de inconformidades nas importações após testes da qualidade da carne brasileira. O fato na época ocorreu devido vacina contra febre aftosa que provocou abscessos na carne. Após esse período, em junho deste ano, frigoríficos brasileiros de bovinos e suínos foram inspecionados para uma provável mudança nas exportações. A decisão divulgada pelo Mapa é resultado a inspeção.

O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros afirmou que a expectativa era de que o veto não se mantivesse, porém, uma nova inspeção será realizada. “O que nós sabemos de momento é... de uma nova inspeção, mas temos todas as capacidades, já as apresentamos a nossos interlocutores, e a expectativa é que muito pronto esse mercado esteja aberto”. Para discutir esse ponto e tentar alterar o cenário, a ministra do Mapa, Tereza Cristina tem viagem agendada para o país no dia 17 de novembro. Segundo a assessoria de imprensa da pasta a ministra quer tratar desta questão e “acredita que os dois países têm bom relacionamento e chegarão a um entendimento”.

Acrimat

Nesta terça-feira (5), a Associação dos Criadores de Gado de Mato Grosso (Acrimat) manifestou apoio a decisão do governo federal de continuar negociações com os Estados Unidos, para tentativa de reverter a decisão do governo norte-americano. A instituição divulgou uma nota com dados de importações do país, como da Secretária de Comércio Exterior (Secex), apontando a receita de embarques do mês passado, alcançando os US$ 716,08 milhões. Segundo a associação, os dados e as ações promovidas apontam que o Brasil possui diferenciais de qualidade na carne, com produtos de excelência que permitem atendem diferentes níveis de exigências de mais de 160 países para os quais a carne é exportada. 

Com informações de Reuters e Acrimat

*Texto com supervisão de Douglas Ferreira 

Compartilhar

Últimas Notícias