Pesquisa e Produção

Estudo americano constatou que produção leiteira nos EUA se tornou mais eficiente e sustentável

Análise do período entre 2007 e 2017 verificou reduções significativas no impacto ambiental e aumentos na produção

04/11/2019 - 10:37 | Por Rafaela Flôr* - SBA

Um estudo publicado no "Journal of Animal Science" constatou que, à medida que as fazendas leiteiras dos Estados Unidos aplicaram práticas modernas para produzir leite com mais eficiência, elas reduziram significativamente a quantidade de insumos utilizados e as emissões de gases de efeito estufa.

Em 2009, uma equipe de pesquisadores liderada pela consultora de sustentabilidade Jude Capper, PhD, publicou resultados do estudo chamado "O impacto ambiental da produção de laticínios: 1944 em comparação com 2007", e  nele há uma análise do impacto ambiental de todo o sistema, mostrando reduções drásticas nos principais insumos para a produção de uma unidade de leite.

Agora, usando modelagem ambiental ainda mais avançada e detalhada, Capper e Roger Cady, PhD, da Cady Agricultural Sustainability Specialties, realizaram um estudo de acompanhamento comparando os impactos relativos da produção de laticínios em 2017 com os de 2007.

O estudo avaliou todas as etapas de produção significativas, incluindo a fabricação e o transporte de insumos agrícolas até a fazenda . Transporte, processamento e varejo de leite não foram incluídos neste estudo. Os pesquisadores modelaram sistemas leiteiros usando práticas típicas de gerenciamento, dinâmica populacional de rebanhos e dados de produção de fazendas leiteiras dos EUA, com informações de colheita provenientes de bancos de dados nacionais.

De acordo com o estudo, melhorias na eficiência da produção de leite nos EUA resultaram em um progresso significativo em direção a uma maior sustentabilidade entre 2007 e 2017:

  •     Redução de 25,2% no número de vacas necessárias para a mesma quantidade de leite;
  •     Redução de 17,3% nos alimentos necessários para a mesma quantidade de leite;
  •     Redução de 20,8% na terra necessária para a mesma quantidade de leite;
  •     Redução de 30,5% no uso de água para a mesma quantidade de leite;
  •     Redução de 19,2% nas emissões de gases de efeito estufa (GEE) por unidade de leite desde 2007 (enquanto a produção de leite nos Estados Unidos aumentou 24,9% entre 2007 e 2017, as emissões totais de GEE do leite aumentaram apenas 1%, de acordo com este estudo);
  •     Redução de 20,6% do esterco produzido nas fazendas leiteiras;
  •     Redução de 17,5% no nitrogênio excretado dos resíduos de leite;
  •     Redução de 14,3% nas excreções de fósforo.

Com informações de MilkPoint.
*Texto supervisionado por Douglas Ferreira.

Compartilhar

Últimas Notícias