Pecuária

Mato Grosso do Sul quer garantir status de área livre em 2021

Desafio do estado de Mato Grosso do Sul é a vigilância

10/09/2019 - 10:25 | Por Kaile Rodrigues - SBA

Todos os elos da cadeia produtiva, tanto o setor público quanto o setor privado, se mostram confiantes para o ciclo da retirada da vacina contra a febre aftosa em 2021. Mato Grosso do Sul fazia parte do bloco cinco, com previsão da retirada da vacina contra febre aftosa para maio de 2021. Por questão de organização do próprio Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o estado passou a integrar o bloco quatro junto com São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Mato Grosso.

Para o superintendente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar (Semagro), Rogério Beretta, o grande desafio do estado de Mato Grosso do Sul é a vigilância, haja visto que o estado tem cerca de 700 quilômetros de fronteira com Paraguai e Bolívia. "Quando se fala em cadeia produtiva, não se trata de beneficiar somente o produtor, mas sim toda a economia do mercado, dos frigoríficos e toda estrutura que envolve a cadeia".  

Compartilhar

Últimas Notícias