Internacional

Ação de prevenção é realizada para impedir entrada de praga que prejudica produção de banana

Fungo foi detectado em país fronteiriço ao Brasil

02/09/2019 - 09:27 | Por Redação - SBA

Foi detectada no país vizinho, Colômbia, uma praga quarentenária responsável por danos a plantações de banana, chamada Fusarium oxysporum f.sp. cubense raça 4 tropical (FOC R4T). Praga quarentenária é todo organismo de natureza animal ou vegetal, ou microrganismo que, estando presente em outros países ou regiões, mesmo sob controle permanente, constitui ameaça à economia agrícola do país ou região importadora exposta. O Brasil produziu 6.764.324 toneladas da fruta em 2016, segundo informações da Produção Agrícola Municipal (PAM) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Uma ação de prevenção para barrar a entrada da peste na região da Amazônia foi realizada pela Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Tabatinga (AM), na tríplice fronteira do Brasil com a Colômbia e o Peru, entre os dias 19 e 23 de agosto. A região possui alta vulnerabilidade para a entrada do fungo agrícolas devido a forte circularização de pessoas, embarcações e de mercadorias que, em grande parte, são alimentos oriundos de diversos locais.

 

Inspeção foi realizada em cidade amazonense que faz tríplice fronteira com Colômbia e Peru

 

A entrada desta peste pode trazer grandes prejuízos para os produtores de banana, com alto impacto socioeconômico para o país. A raça 4 tropical da praga é uma variação mais agressiva do “Mal do Panamá” ou “Fusariose da bananeira”, e não há ainda variedades resistentes ou manejo químico viável para seu domínio.

Segundo a auditora fiscal federal agropecuária, Juliana Ribeiro, o fungo não foi detectado no estado amazonense. “Neste momento, foram inspecionadas propriedades em Tabatinga, Benjamin Constant e Atalaia do Norte, onde foram identificadas as áreas de produção de banana, bem como as principais variedades usadas e quais as pragas que as atacam. Não foi identificada nenhuma planta com FOC R4T”, ela afirma.

Com informações de: Assessoria Mapa

Compartilhar

Últimas Notícias