Economia

Recuperação judicial: agosto registra recorde de pedidos em 2021, diz Serasa

Quase metade dos pedidos foi feito por empresas do comércio

09/10/2021 - 08:00 | Por Lucas Caxito* - SBA | Siga-nos no Google News

O mês de agosto registrou o maior número de solicitações de recuperação judicial no ano de 2021. O levantamento foi divulgado pelo Serasa Experian. Ao todo, foram 111 pedidos realizados, contra 74 no mês anterior, o que representa um aumento de 50%.

Ainda segundo a pesquisa, 43,2% dos pedidos foram feitos pelo setor de comércio, o maior índice desde 2017. Micro e pequenas empresas também lideraram as requisições, totalizando 71% de todos os pedidos.

De acordo com o advogado Diego Santos, o produtor rural como pessoa física, também pode solicitar a recuperação judicial, mas o pedido é uma medida viável para evitar o fechamento de portas.

“A partir do momento que tanto a legislação, quanto o próprio judiciário entendeu que o produtor rural detém a qualidade de empresário, o produtor rural acaba sofrendo das mesmas mazelas de uma indústria, de um comércio ou de uma empresa de prestação de serviços. Então, ele também pode solicitar a recuperação judicial para renegociar suas dívidas”, pontuou Diego.

O advogado também explicou que a recuperação judicial nada mais é do que a vontade do empresário que está devendo, em colocar os seus credores em uma mesa para buscar uma solução executável, e que no caso dos produtores rurais, são várias as motivações que cabem a solicitação do recurso.

“Como qualquer empresário, o produtor rural está suscetível a eventuais ingerências em seu negócio, além de fatores climáticos externos e mercadológicos que também podem catapultar para um pedido de recuperação judicial. Então não existe apenas um fator [para a realização do pedido], o que a gente vê, são questões climáticas, preços das commodities e as marés do mercado que acabam levando o produtor a se socorrer desse instituto”, ressaltou Diego.

Falências em queda

Por outro lado, os pedidos de falência apresentaram queda de 0,5% em relação a julho. Foram 95 requisições em agosto contra 100 realizadas em julho.

As organizações de médio porte contaram com 19 solicitações; negócios de grande porte, 16 pedidos; e o setor de serviços com as micro e pequenas empresas lideraram o ranking, com 60 pedidos.

*texto com supervisão do jornalista Douglas Silvério / Foto: Tânia Rêgo Agência Brasil. 

Compartilhar

Últimas Notícias