Economia

Grãos: Conab indica produção total de 289,6 milhões de toneladas para safra 2021/22

Perspectivas foram apontadas nesta quinta (26) pela entidade

26/08/2021 - 14:02 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou hoje, quinta-feira (26/08), as Perspectivas para a Agropecuária Safra 2021/22 – Edição Grãos, informativo que traz as principais variáveis de mercado e as tendências para as culturas de soja, arroz, feijão, algodão e milho. Segundo a entidade, a produção total de 289,6 milhões de toneladas de grãos para a safra 2021/22.

Segundo a Conab, na produção há uma expectativa de leve alta da safra de arroz, com recuperação dos estoques; recuperação forte do algodão, com o aumento das exportações e manutenção da área plantada de feijão, mas com elevação de produtividade.

Conforme o diretor-presidente da Conab, Guilherme Ribeiro, o milho deve registrar destaque, na qual a expectativa é de colheita de 116 milhões de toneladas, e a soja, com produção de 141,2 milhões de toneladas.

“Temos a previsão de uma safra recorde estimada em 289,6 milhões de toneladas e rumo a 300 milhões, com um recorde na produção de milho e soja e o Brasil permanecendo o maior exportador de soja do mundo”, afirmou Ribeiro.

As projeções, as exportações de soja em 2020 devem ficar em 83,42 milhões de toneladas e no próximo ano devem chegar a 87,58 milhões de toneladas, com a área de cultivo da oleaginosa alcançando 39,91 milhões de hectares.

A entidade aponta que a alta está ocasionada pelo aumento do dólar, beneficiando as exportações, além da elevação da demanda da China, em especial comprador do produto.

O milho apresentou aumento de 33% na comparação anual. Os números apontam uma recuperação após o cultivo ter sido impactado pela seca e a geada.
A safra de verão do cereal deve ter alta de 9%, ficando em 27,2 milhões de toneladas.

No algodão em pluma, segundo a Conab, há expectativa de alta de 15,8% na produção. A safra 2021/2022 deve ficar em 2,71 milhões de toneladas. Os dados apontam elevação de 13,4% na área de cultivo, que ficará 1,55 milhão de hectares.


Com informações Agência Brasil./ Foto de capa: Wenderson AraujoTrilux-Sistema CNA Senar

Compartilhar

Últimas Notícias