Assista agora:
Agricultura

Conab reduz estimativa da safra de grãos para 262,13 milhões de toneladas

Dados foram divulgados hoje pela entidade no 9º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21

10/06/2021 - 11:23 | Por Frederico Diegues* - SBA | Siga-nos no Google News

A produção de grãos no Brasil, estimada em 262,13 milhões de toneladas, apresentou acréscimo de 2% em relação à safra 2019/20, o que representa 5,11 milhões de toneladas a mais. Os dados foram divulgados, na manhã desta quinta-feira (10) no 9º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21, boletim mensal da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Com exceção do milho e algodão, as demais culturas de primeira safra encerraram suas colheitas. A respeito da segunda safra, aproximadamente 40% das lavouras de feijão já foram colhidas e o restante se encontra nos estágios de enchimento e maturação dos grãos.

Para o milho segunda safra, por conta do atraso na semeadura, ainda não foram registradas colheitas significativas, e fases fenológicas predominantes das lavouras são floração e enchimento de grãos.

As baixas precipitações, em abril em maio, comprometeram a potencial produtividade da maioria das lavouras plantadas do cereal. Por fim, as culturas de inverno estão em fase de plantio, o qual foi intensificado a partir de maio.

Se  comparada com a estimativa do mês anterior, foi observada uma redução de 9,57 milhões de toneladas. Redução que advêm, principalmente, do retardamento da colheita de soja e, consequentemente, o plantio de uma grande parte da área do milho segunda safra fora da janela indicada. Tais problemas, somados à baixa ocorrência de chuvas em abril e maio, já indicam uma redução expressiva da produtividade do cereal.

A área plantada estimasse um crescimento de 4,2%, ou 2,8 milhões de hectares na comparação com o ciclo anterior, situando-se 68,7 milhões de hectares. Destacam-se soja e milho, com respectivo aumento de 4,2% e 8,4%, ou 1,6 milhão de hectares para soja e 1,15 milhão de hectares para o milho.
 
Soja

Apesar da situação climática adversa, especialmente na colheita que afeta a qualidade de alguns lotes, a produtividade registrou incremento de 4,4% em relação ao boletim anterior, equivalente a 3.528 kg por hectares.

Com esses valores, mais uma vez foi registrada produção recorde de 135,9 milhões de toneladas, representando acréscimo 8,8% em comparação à safra passada e de 452,2 mil toneladas em relação ao levantamento anterior. 

Milho

Na consolidação das três safras, o cenário indica uma produção de 96,4 milhões de toneladas, o que representa um decréscimo de 6% em relação à safra anterior.

Para o milho primeira safra, cujo trabalho de colheita deve ser encerrado até o final de junho, 84% da área total havia estava colhida no final de maio. Já na segunda safra, as operações de colheita serão intensificadas a partir do mês de junho. A terceira safra ainda está sendo semeada nos diferentes estados produtores do país.


Com informações da Conab. / Foto: Tony Oliveira Sistema CNA / Senar

*Com supervisão do Jornalista Douglas Ferreira

Compartilhar

Últimas Notícias