Agricultura

IBGE estima safra recorde de grãos em 262,8 milhões de toneladas

Volume representa crescimento de 3,4% na comparação com a safra passada

10/06/2021 - 10:37 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

A produção brasileira de grãos na safra 2020/21 deve alcançar 262,8 milhões de toneladas, volume recorde na série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estimativa de maio representa queda de 0,6%, ou 1,7 milhão de toneladas, frente ao mês anterior, mas é 3,4% superior à obtida em 2020, com 254,1 milhões de toneladas.

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) indica que a área a ser colhida é de 68 milhões de hectares, com alta de 3,9% frente a 2020 (mais 2,5 milhões de hectares). Na comparação com o mês anterior, a estimativa da área a ser colhida cresceu 119,7 mil hectares (0,2%).

Os três principais produtos representam 92,6% da estimativa da produção e respondem por 87,7% da área a ser colhida, representados por milho, soja e arroz.

Soja
A estimativa para soja é de recorde com 132,9 milhões de toneladas, crescimento de 9,4% frente a 2020 e de 0,7% em relação ao mês passado. A área plantada subiu 4,2%, o equivale a 1,5 milhão de hectares; a produtividade cresceu 5,1%, o que representa um aumento de 166 kg/ha (2,7 sacas).

Milho
Com uma área a ser colhida de 19,4 milhões, a estimativa da produção declinou 3,2% em relação à última informação e 3,9% frente a 2020, tendo totalizado 99,2 milhões de toneladas.

Na 1ª safra de milho, a produção estimada foi de 25,8 milhões de toneladas, crescimento de 0,3% em relação ao mês anterior. Quanto à variação anual, a estimativa da produção encontra-se 2,8% menor que em 2020.

Para a 2ª safra, a estimativa da produção foi de 73,3 milhões de toneladas, declínio de 4,4% em relação ao mês anterior. Em relação ao ano anterior, a estimativa para a segunda safra encontra-se 4,3% menor.

Café
A estimativa da produção brasileira de café para 2021, considerando-se as duas espécies, arábica e canephora, foi de 2,9 milhões de toneladas, crescimento de 4,3% em relação ao mês anterior e decréscimo de 21,0% em relação ao ano anterior. A área plantada apresenta declínio de 3,2% e a área a ser colhida redução de 3,4% no ano.

 

 

Informações por IBGE

Foto de capa por Wenderson Araujo/ Trilux/ Sistema CNA Senar

Compartilhar

Últimas Notícias