Morre fundador da Aracruz Celulose, Erling Lorentzen, pioneiro no setor de árvores cultivadas

Empresário norueguês fundou a primeira fábrica de celulose em linha do Brasil

09/03/2021 - 11:12 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

Morreu nesta terça-feira (09), aos 98 anos, Erling Lorentzen, pioneiro e visionário do setor de árvores cultivadas. Também foi fundador e presidente da Aracruz Celulose, na década de 1970, reconhecida como a primeira fábrica de celulose em linha do Brasil.

Erling também foi responsável por introduzir o eucalipto em Mato Grosso do Sul no setor de árvores plantadas para a produção de celulose, hoje principal produto na pauta exportadora do estado. 

A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) emitiu nota lamentando o falecimento do empresário.

História
Na década de 60, Erling iniciou sua relação com o setor de árvores cultivadas. O empresário norueguês radicado no Brasil começou a dar corpo ao projeto com o plantio florestal, que previa a exportação de cavaco. Buscando agregar valor e gerar riqueza com a industrialização, o executivo sugeriu o desenvolvimento de uma indústria local de processamento de celulose.

Não se intimidou com as desconfianças da época ao idealizar a então maior fábrica, com 400 mil toneladas. Ernesto Geisel, então presidente da República, chegou a questionar o projeto. 

Segundo anedota que o próprio executivo contou várias vezes, Geisel teria comentado “se devia apoiar esse louco norueguês que está insistindo em fazer uma fábrica de celulose no Espírito Santo”. O projeto deu certo e a Aracruz foi a primeira empresa brasileira listada na Bolsa de Valores de Nova York e a única empresa florestal do mundo a participar inicialmente do Índice Dow Jones de Sustentabilidade. 

Engajado no desenvolvimento do setor, buscou sempre mecanismos para diminuir os impactos ambientais, como redução do consumo de água, de uso de químicos e de emissão.

 

Informações por Ibá

Foto de capa por Wenderson Araujo - Sistema/ CNA Senar

Compartilhar

Últimas Notícias