Agricultura

Embrapa faz alerta sobre sementes de soja esverdeadas

Situação foi mais observada em três regiões do país

25/03/2020 - 12:48 | Por Thalya Godoy - SBA | Siga-nos no Google News

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) emitiu comunicado sobre os relatos de semente de soja esverdeada que surgiram nesta safra. Os pesquisadores da Embrapa Soja têm recebido mensagens sobre o assunto, que chega a ser superior 50% na safra 2019/2020 em regiões como Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país. “As sementes com coloração intensa de verde ou mesmo esverdeadas, geralmente apresentam elevados índices de deterioração, que podem levar a redução da germinação, do vigor e da viabilidade de lotes de soja”, explica o pesquisador José de Barros França Neto. 

“Ainda não temos um levantamento de quantos lotes serão descartados, mas podemos dizer que os produtores de semente terão prejuízo com o elevado índice de sementes esverdeadas”, alerta França Neto.

Dados da Embrapa Soja em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), sugerem que em pré-colheita, níveis de até 9,0% de sementes esverdeadas podem ser tolerados. Acima deste número, é preciso retirar as sementes esverdeadas dos lotes, o que gerará aumento nos custos. “A remoção de sementes esverdeadas pode ser realizada por equipamentos selecionadores de cores, que, apesar de caros, removem grande parte dessas sementes esverdeadas”, sugere França.

As sementes esverdeadas são menores e com a classificação por tamanho das sementes pode resultar em melhoria da qualidade fisiológica do lote de semente. “Desta forma, a maior concentração de sementes esverdeadas ocorrerá nas menores classes de tamanho, que poderão ser descartadas; as sementes das classes maiores, por terem um menor porcentual dessas sementes, tenderão a apresentar melhores germinação e vigor”, conta o pesquisador. Segundo ele, para preservar a qualidade das sementes durante o armazenamento, elas devem estar em condições climatizadas de 10 a 15ºC e 60% UR. 

Causas do problema

O Brasil produziu, aproximadamente, 3 milhões de toneladas de sementes de soja na safra 2018/19, de acordo com a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem). Para França Neto, o problema das sementes esverdeadas está atribuído à seca na última safra, associado a elevadas temperaturas nas fases de enchimento de grãos e em pré-colheita. 

“Isso resultou em morte prematura das plantas e na maturação forçada das sementes. Com isso, as duas principais enzimas associadas à degradação da clorofila (magnésio quelatase e clorofilase) foram desativadas, culminando na produção de altos níveis de sementes esverdeadas”, esclarece França Neto.

 


 

Informações por Embrapa/ Foto de capa: Danilo Estevão


 

Compartilhar

Últimas Notícias