Assista agora:

Pantanal brasileiro arde com focos de incêndios

Corumbá é a cidade com mais ocorrências desde o início de 2020

16/03/2020 - 13:17 | Por Thalya Godoy - SBA | Siga-nos no Google News

No Pantanal sul-mato-grossense, o corpo de bombeiros realiza operações de combate a focos de incêndio desde 8 de março. Os brigadistas fazem monitoramento de áreas de preservação ambiental, como a APA da Baía Negra, e combate direto aos focos na área da Baía do Tuiuiú e na região do Bracinho, próxima a Ladário, conforme divulgado pela entidade.

Na última sexta-feira (13), o 3º Grupamento de Bombeiros de Corumbá recebeu apoio de brigadistas de unidades de Jardim, Aquidauana e Maracaju para o combate às chamas. No domingo (15), um voo comercial foi cancelado, devido à baixa visibilidade atribuída à fumaça.

 

Passageiros do voo cancelado foram informados que avião não poderia pousar na cidade. Foto:
Diário Corumbaense

 

Segundo dados do Programa de Queimadas do Instituto Nacional de Pequisas Espaciais (Inpe), Corumbá é a cidade com mais focos de incêndios do país entre 8 de março até esta segunda-feira (16). O município concentra 257 focos, o que representa 19,4% do Brasil. Em segundo lugar vem Rorainópolis (RO), com 58 focos, ou seja, 4,4% do total brasileiro.

Entre os biomas, o Pantanal possui 90,6% dos focos de incêndio no mesmo período, enquanto o Cerrado apresenta 7,4% e Mata Atlântica com 2%. Desde o começo de 2020 até 16 de março, Corumbá registrou o maior número de focos de incêndio do Brasil com 501 (6,6%). Em segundo, Poconé (MT), apresentou 206 (2,7%).

A agência aeroespacial dos Estados Unidos, Nasa, divulgou imagens de satélite na região do Pantanal com focos de incêndio. Nas imagens, observa-se fogo próximo ao Parque Nacional Pantanal Matogrossense e perto do local de outro incêndio considerável no final de janeiro de 2020, segundo divulgado pela entidade.

O Operational Land Imager (OLI) no Landsat 8, fez imagem detalhada dos incêndios em 4 de março deste ano, onde se observou que o fogo estava ao norte do Rio São Lourenço.

 

Bombeiros de Corumbá realizam ações para combater o fogo no Pantanal. Imagem: Nasa

A Pesquisadora da Embrapa Pantanal, Balbina Soriano, explica que Corumbá e Ladário, localizadas no Pantanal sul-mato-grossense, estão na sub-região pantaneira do Paraguai, onde estão registrados o maior número de focos de calor, segundo os dados do Inpe. A média histórica para o mês de março é de 73 focos. “A proximidade que esses incêndios estão da cidade de Corumbá e Ladário, associados aos baixos indicies de umidade relativa do ar e as altas temperaturas, fazem com que os efeitos sejam ainda mais sentidos pela população”, afirmou a pesquisadora em entrevista para a entidade.

Rio Sâo Lourenço tem nascente no Mato Grosso. Imagem: Nasa

Segundo ela, o período chuvoso na região está entre novembro a março, com registro de uma média histórica de 810 mm para o período. De novembro de 2019 até 12 de março de 2020, choveu 350 mm, o que representa 43% do esperado para a média histórica. “Diante deste cenário vem ocorrendo um aumento nos focos de calor. De janeiro até 12 de março, foram observados 686 focos de calor, 98 % acima da média histórica, que é de 347 focos de calor para este período”, explica Balbina.
 

Compartilhar

Últimas Notícias