Pecuária

Boi gordo: atacado dispara e testa limites da demanda

Após as altas registradas nos últimos dias mercado acalmou no fechamento de hoje

06/02/2020 - 15:31 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

Cotação sem variação em São Paulo, mas escalas apertadas

Após as altas registradas nos últimos dias, o mercado acalmou no fechamento de hoje. O preço do boi gordo permaneceu estável em São Paulo. Com a reação nos preços, houve um leve aumento nos negócios e as escalas se alongaram, mas não muito. As programações dos frigoríficos paulistas atendem, em média, de três a quatro dias, no máximo, mas destacando que algumas indústrias têm trabalhado com certa ociosidade na linha de abate.

Baixa disponibilidade de gado terminado

As chuvas em bons volumes mantêm a boa capacidade de suporte das pastagens, assim os pecuaristas conseguem reter o gado no pasto, com custo baixo, aguardando pagamentos maiores e dificultando a vida dos compradores de gado. Diante desse cenário, praticamente somente aqueles produtores que precisam liquidar algum compromisso financeiro vendem a boiadas para fazer caixa. Expectativas Com o aumento de R$7,00/@ desde o começo da semana, a baixa oferta de matéria-prima também refletiu em aumento nos preços da carne com osso em São Paulo. O boi casado de animais castrados fechou cotado em R$13,54/kg. Alta de 10,7% na semana. Com a situação indefinida a respeito da demanda e da logística portuária chinesa, em curto prazo, a atenção fica voltada para o consumo interno. A dúvida é quanto o mercado doméstico conseguirá absorver das altas do boi que foram repassadas para a carne.

Com informações Scot Consultoria

Compartilhar

Últimas Notícias