Coreanos conhecem sete setores para investimento no MT

Foram apresentados oportunidades para empresários coreanos investirem durante palestra em São Paulo

18/12/2019 - 16:25 | Por Rafaela Flôr* - SBA | Siga-nos no Google News

O presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira, apresentou para empresários e investidores coreanos que atuam no Brasil as oportunidades de negócios no estado, um evento promovido pelo Consulado da Coreia em São Paulo. A Fiemt foi a única entidade convidada a palestrar no evento e o presidente apontou grandes oportunidades para investir em infraestrutura, bioenergia, carne, milho, madeira, metalomecânica e mineração.

A Coreia é importante cliente de Mato Grosso e importou US$ 1,4 bilhão em madeira, em 2018. Embora o valor fosse suficiente para absorver toda a madeira exportada pelo Brasil no mesmo período, o país respondeu por apenas US$ 10 milhões do total. E uma parcela mínima saiu de Mato Grosso: US$ 1,1 milhão. “Mato Grosso exportou US$ 152 milhões em madeira para o mundo todo em 2018 e quase nada para a Coreia, que é uma grande compradora. Essa é apenas uma das oportunidades que identificamos de imediato”, destaca o presidente da Fiemt.

O empresário Silvio Rangel, vice-presidente da federação, destacou o setor biocombustíveis como um dos pontos fortes de Mato Grosso. “Houve grande interesse por parte do público presente, especialmente na questão do etanol de milho, que é uma oportunidade muito atrativa na nossa região, permitindo que sejamos cada vez mais relevantes nesse mercado”, afirma Silvio. Ele destaca ainda o potencial para produção de celulose, que já tem um projeto em andamento em Alto Araguaia e está aberto a propostas de investidores.

Também existe um grande interesse nas oportunidades geradas pelo agronegócio e na verticalização. “A existência de linhas de financiamento para a instalação de empresas coreanas aqui com taxas menores que 1% ao ano são um grande atrativo, assim como a perspectiva da ZPE, que eles querem conhecer, pois acreditam que é possível replicar em Mato Grosso o mesmo modelo que foi implantado em Pecém, no Ceará”, enumera Gustavo. “Isso sem contar a possibilidade de acesso aos incentivos locais, como Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) e Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), dois diferenciais para a atração de novas empresas que despertaram bastante interesse entre os participantes”.

Além da missão em Mato Grosso, já está em avaliação a organização de outra missão, de empresários brasileiros à Coreia, provavelmente em 2021. “Será uma chance de conhecermos de perto as novas tecnologias, principalmente industriais e de telecomunicações, para atrair essas novidades ao Brasil”, adianta o presidente. Essa missão será proposta à Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O encontro dos dirigentes da Fiemt com investidores coreanos foi organizado pelo cônsul Geral da República da Coreia, Hak You Kim que recentemente visitou Mato Grosso e quer realizar uma missão em 2020 para que empresários coreanos venham conhecer as oportunidades de investimentos, informa a assessoria da federação.

Com informações de Só Notícias.
*Texto supervisionado por Douglas Ferreira.

Compartilhar

Últimas Notícias