Pecuária

Pecuária mato-grossense registra valorização de animais pela baixa oferta

Relatório do Imea constata que momento é benéfico para pecuaristas do estado

20/11/2019 - 14:43 | Por Rafaela Flôr* - SBA

Segundo o relatório do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), divulgado na última terça-feira (19), o mercado da pecuária tem vivenciado um momento de baixa oferta de animais para abate, mas dados do Indea referentes a outubro demonstram o contrário. De acordo com o relatório, foram abatidas 538,6 mil cabeças no estado, valor 8,97% superior ao de setembro deste ano e 8,13% em relação ao de outubro do ano passado. No entanto, segundo colaboradores do Imea, a maior parte destes animais foi entrega de contratos a termo, o que, para aqueles frigoríficos que não realizaram este tipo de negociação, resultou na dificuldade em fechar as programações de abate.

O relatório informa que, em outubro, as escalas de abate ficaram em torno de 5,95 dias, valor 5,17% menor ante a setembro deste ano e 11,81% inferior a outubro de 2018. Somado a isso, a retenção de fêmeas começou a ser mais intensa, sendo demonstrada pelo decréscimo de  abate de  3,16% no  mesmo  período, desta  categoria.  Com  todo  este  movimento,  a  arroba  tem  seguido  em valorização em novembro e os produtores continuam segurando o gado e aproveitam a atual conjuntura.

Os preços seguiram disparados na semana passada, pois, além da oferta restrita de animais, os produtores agora seguram o pouco de gado na espera de melhores negócios. Assim, no comparativo semanal, as médias do boi e da vaca gorda fecharam em R$ 163,38/@ e R$ 152,53/@, respectivamente, com valorizações de 5,48% e 4,97%, na mesma ordem.

A escala de abate apresentou leve aumento, fechando em 5,92 dias, pois animais a termo e de confinamento estão sendo entregues. Mesmo assim, em relação ao mesmo período do ano passado, as programações são de 2,00 dias menores. Na última semana, os contratos futuros na B3 apresentaram significativas altas, alcançando patamares de R$ 196,35/@ no corrente e R$ 202,31/@ para maio do próximo ano. O equivalente físico do boi gordo também teve acréscimo, de 9,19% no comparativo semanal. A consequência vem da alta nos cortes do mercado atacadista, sustentada pelo movimento positivo dos preços dentro da porteira e da demanda aquecida.

Em outubro, foi realizado o último levantamento do ano referente aos dados consolidados de confinamento em Mato Grosso. Neste relatório, foi identificado que cerca de 824,23 mil cabeças foram confinadas, o que corresponde a 10,81% de cabeças a mais do que os dados consolidados de 2018. Os destaques foram para a região sudeste de Mato Grosso, que representou 24,82% do total do estado, seguida da região oeste, com 23,91% de participação. Além disso, a capacidade estática reduziu 4,83% se comparado com o ano passado, mas, em contrapartida, a média da utiliza-ção da capacidade instalada aumentou 13,11 p.p.em relação ao mesmo período, se fixando em 92,85%. Assim, o aumento de animais confinados no estado e da utilização da capacidade estática demonstra a maior intensificação e tecnificação dos produtores mato-grossenses em 2019.

Com informações de Imea.
*Texto supervisionado por Douglas Ferreira.

Compartilhar

Últimas Notícias