Nacional

Ministra da Agricultura fala sobre carta de Bonito e cenário da pecuária brasileira no Brics

Tereza Cristina comentou sobre exportações de carnes para a China e o mercado de lácteos

25/09/2019 - 19:59 | Por Pâmela Machado* - SBA

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina esteve na 9º Reunião de Ministros da Agricultura do Brics, um bloco composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. O encontro foi realizado em Bonito (MS) e durante uma coletiva, Tereza Cristina afirmou que o objetivo do evento foi assinar a carta de Bonito. “Essa é uma reunião que é só para finalizar um documento que vai sair, a carta de Bonito, que reflete que tudo que os cinco países dos Brics tem como meta conjunta nos seus países, sobre a agricultura”.

Tereza Cristina destacou que a carta não traz benefícios apenas para o Brasil, mas para todos os países que fazem parte do grupo. “Eu espero que traga muitos benefícios, não só para o Brasil, mas para o mundo. Aqui não são políticas específicas para o nosso país, são politicas globais dos cinco países que vão trabalhar em conjunto”. Além disso, Tereza Cristina relembrou a recente viagem ao Oriente Médio e afirmou que a abertura em quatro países da região trouxe progressos no comércio externo para o Brasil. 

Pecuária 

A ministra da Agricultura comentou sobre as exportações de carnes para a China. Ela relembrou a aprovação de 21 plantas e afirmou que realizará uma viagem para o país, com um dos objetivos de aprovar nove novas plantas. “Temos vários assuntos, e um dos assuntos é tentar levar mais plantas e ver como a China vai fazer essas vistorias. Nós temos a dificuldade da distância e da língua, mas eu acho que o momento é muito promissor para as proteínas, tanto suínas, quanto aves e bovinas”.

Em outro momento, a ministra destacou a importância da produção de lácteos com qualidade no Brasil. Ela citou o selo arte, recentemente assinado pelo governo e destacou a relevância do setor no cenário internacional. “Os queijos são importantíssimos e muitos mercados gostam do queijo brasileiro, então nós temos é que fazer queijo de qualidade, para que o valor que nós podemos agregar nos nossos queijos, sejam cada vez melhores para competir lá fora”.

Compartilhar

Últimas Notícias