Pecuária

Estiagem e seca atípica influenciam na estação de monta

Com pouca chuva prevista em setembro e outubro, a pastagem torna-se insuficiente para o período

19/09/2019 - 16:41 | Por Rafaela Flôr* - SBA

Um dos mais importantes períodos do calendário pecuário, o de estação de monta (reprodutivo), pode ser severamente afetado este ano em virtude da estiagem e altas temperaturas, que prejudicam o mais importante insumo necessário para que haja sucesso na reprodução: a pastagem. A estação de monta é o período que deve conciliar a disponibilidade de forragem de qualidade e período de lactação das vacas, ou seja, quando há chuvas abundantes - de outubro a março - no Brasil Central.

Durante a lactação e o consumo de nutrientes, a reprodução alcança melhores índices se comparado à monta que ocorre ao longo do ano. Por causa da estiagem e da seca atípica, a fase reprodutiva é prejudicada pela escassez de forragem de qualidade.

A doutora e pesquisadora da Embrapa Gado de Corte, Alessandra Nicácio explica que a baixa probabilidade de chuva durante o período reprodutivo do rebanho afeta as necessidades nutritivas das novilhas e vacas em fase de lactação. “A gente recomenda ao produtor que espere a volta das  chuvas, rebrota de pasto e disponibilidade de forrageira para iniciar o período reprodutivo”, orienta a pesquisadora. 

Para diminuir o impacto da falta de chuvas e pouco pasto de qualidade disponível, a pesquisadora indica a vedação do solo com o objetivo de obter a rebrota da forragem, além de o produtor poder fazer a correção de solo e manter pasto com baixo uso. “Ele pode fazer um rodízio dos animais nos diferentes piquetes, nos diferentes pastos que ele tiver”.

Alessandra enfatiza sobre a importância de planejar a estação de monta e os métodos a serem utilizados para atingir o objetivo deste período. Como parte desse planejamento está a aquisição de insumos, estabelecer a época da estação e se possui touros saudáveis, com exames andrológicos realizados e mão de obra qualificada para lidar com o processo.

A pesquisadora afirma que animais com escore corporal ruim representam baixo desempenho reprodutivo. “É importante que a estação de monta seja muito bem planejada”.

O médico veterinário e diretor da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul), Armando Pereira enfatiza que é necessário investir em suplementação para o período de seca atípico deste ano. “Todo ano tem seca e o produtor precisa estar preparado para o período. Este ano está atípico e vamos entrar na estação de monta com pouca chuva, isso significa pouco volume de massa. Nessa caso, deve-se trabalhar com a suplementação mais intensa, para que os animais não percam o escore”. 

Como outra alternativa para driblar a escassez de pasto com qualidade nutritiva, o médico veterinário indica o uso de ração. “De forma urgente, tem que entrar com ração em vez de proteinados, para que a estação não seja atrasada e mantenham-se os bons índices do ano passado. Do contrário, vai atrasar. Tudo está ligado à nutrição, à suplementação”.
 

Elaborado por: Rafaela Flôr

*Texto com supervisão de Douglas Ferreira.
 

Compartilhar

Últimas Notícias