Floresta

Pantanal supera Amazônia em focos de incêndio

Bioma registrou aumento de 334% no número de queimadas em 2019

13/09/2019 - 12:12 | Por Thalya Godoy* - SBA

De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Pantanal teve alta de 334% de focos de incêndio entre o início do ano até 11 de setembro, em comparação com o mesmo período 2018. Os números saíram de 1.039 para 4.515. Desta forma, o aumento porcentual de queimadas no Pantanal é maior do que o observado na Amazônia.

Com este cenário, os estados Mato Grosso e Mato Grosso do Sul decretaram estado de emergência. Em um intervalo de 11 dias, as queimadas no Pantanal foram maiores em 72% em comparação ao setembro do ano passado. Até esta quarta-feira, o Programa Queimadas, pertencente ao Inpe, registrou 1.350 focos na área, frente a 785 no mês todo em 2018.

Início de setembro registra 72% a mais de queimadas em comparação ao mês todos no ano passsado.
Fotos por: Estudio Fotografico Valentim Manieri 

No Mato Grosso do Sul, o número de focos de incêndio no ano mais que triplicou, passando de 1.902 para 6.301. Até esta quinta-feira, 12, segundo estimativa do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), a área consumida pelas chamas é de 1 milhão de hectares.

O Pantanal abriga cerca de 2 mil plantas catalogadas, de acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) unidade Pantanal. Além disso, possui 263 espécies de peixes, 41 espécies de anfíbios, 113 espécies de répteis, 463 espécies de aves e 132 espécies de mamíferos, sendo 2 endêmicas, ou seja, são encontradas somente na região, segundo o Ministério do Meio Ambiente (MMA).


Com informações de: Agência Estadão


*Texto supervisionado por Douglas Ferreira

Compartilhar

Últimas Notícias