Agricultura

Do pasto ao apiário

Conheça a história do ex-pecuarista Adames que vendeu todo gado e apostou na apicultura

12/09/2019 - 13:32 | Por Thalya Godoy* - SBA

De família tradicionalmente pecuarista, Adriano Adames encontrou nas abelhas uma alternativa para a carreira. Quando contou a ideia de mudança, apenas a esposa confiou no potencial que a área poderia render. Para entrar no ramo, Adames estudou sobre o assunto e viu a oportunidade de negócio na época, que era pouco explorado há 10 anos.

Adames afirma que o mel atende uma demanda de mercado, como a busca por uma vida mais saudável e preservação. “Abelha é preservação, polinização, não é só mel”. Ele pratica o que é conhecido como apicultura migratória, muda-se conforme acontecem as floradas naturais. “Você vai migrando, vai mudando as colmeias”, ele conta.

 
O apicultor explica que a polinização feita pelas abelhas é importante para a agricultura. “Tem algumas culturas que são dependentes realmente de abelhas, outras menos. Uma polinização certa, na quantidade correta, de forma adequada, pode aumentar em torno de 10 a 15% na produção”.

Ele afirma que o trabalho profissional com as abelhas foi retomado recentemente no país há cerca de 30 anos e que, atualmente, são referência mundial na produção de mel, apesar da falta de referência na polinização de culturas. “Mas temos a maçã mesmo no Rio Grande do Sul que é muito dependente, o pessoal aluga colmeias. A laranja também aumenta bastante a produção. Eu já cheguei a levar colmeias daqui do Mato Grosso do Sul para o Paraná para polinizar laranjas. A gente acaba recebendo turistas também porque aumenta a produtividade”, Adames assegura.

 

 Adriano Adames em entrevista exclusiva ao Canal do Boi. Foto por: Douglas Ferreira

 

*Texto supervisionado por Douglas Ferreira

Compartilhar

Últimas Notícias