Politica

Rótulo de carne em proteínas vegetais é proibido pelo governo de Oklahoma

Governo assinou projeto de lei que proíbe “propagandas enganosas” que usam o termo “carne” nos rótulos de proteínas naturais

07/05/2019 - 10:07 | Por Rosa Cabral - SBA
Foto: Divulgação

Setor que fabrica protéinas de origem vegetal  ou produzidas em laboratório  (a partir de células-tronco de animais)  no Estado norte-americano de Oklahoma,  não poderão mais usar a palavra “carne” nos rótulos de seus produtos, a região é a  quarta maior produtora de carne bovina nos EUA. Nova lei entrará em vigor em 90 dias. Segundo informações do portal Meatingplace, o governador de Oklahoma, Kevin Stitt, assinou um projeto de lei que proíbe “propagandas enganosas” que usam o termo “carne” nos rótulos de proteínas naturais e “amigáveis” ao meio ambiente.  O projeto de lei aprovado pela legislatura de Oklahoma define a “carne” como uma “porção comestível de gado, aves domésticas ou carcaça de cervídeos em cativeiro ou parte deles”. A iniciativa do projeto de lei é vista pelo setor como uma maneira de proteger os fazendeiros de Oklahoma, além dos consumidores que podem não entender a diferença entre carne de animais e outras formas de proteínas alternativas rotuladas como “carne”,  O prazo para a nova lei entrar em vigor foi definido em até 90 dias.

Compartilhar

Últimas Notícias