Geral

Comida halal: Brasil é o maior exportador

Em 2019 o país exportou US$ 16,2 bilhões desses produtos

05/10/2021 - 10:39 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

A palavra árabe halal, norteia a alimentação e o uso de produtos cosméticos e farmacêuticos permitidos por muçulmanos em todo o mundo. A sharia, código de leis islâmicas, permite aos seguidores da fé de Maomé apenas o consumo de produtos que se encaixem nesse conceito, pois seriam permitidos por Deus. No judaísmo existe o kosher, categoria semelhante.

Enquanto os produtos considerados haram são aqueles não permitidos. Sendo proibido o consumo de carne suína, álcool etílico, sangue e animais de presas longas. As carnes permitidas são de boi, frango, caprinos e ovinos, mas é necessário que o abate siga o ritual halal.

A restrições são para todos os produtos compostos por esses ingredientes ou que tenham contato com eles. Diante disso, as empresas interessadas em exportar os produtos, precisam ser certificadas.

O processo de certificação envolve uma avaliação documental da empresa, em seguida a cetificadora envia um auditor com conhecimentos técnicos e autoridades religiosas, para verificar se a empresa segue os preceitos do islamismo. A empresa certificada pode receber certificação de todos os lotes de seu produto, com validade de três anos, ou adquirir certificações por lotes. Cerca de 450 empresas brasileiras são certificadas apenas pela Fambras Halal.

De acordo com o último Relatório Global do Estado da Economia Islâmica pré-pandemia, o Brasil era o maior exportador mundial de comida halal. Em 2019, o país exportou US$ 16,2 bilhões desses produtos, 12% acima que o 2º colocado, a Índia, que negociou US$ 4,4 bilhões.

Com informações da Agência Brasil / Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil. 

Compartilhar

Últimas Notícias