Assista agora:
Saúde

Vazio sanitário da soja termina no dia 15 de setembro, em São Paulo

Método é utilizado para diminuição da sobrevivência do fungo causador da Ferrugem Asiática

10/08/2021 - 13:38 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

O vazio sanitário da soja termina no dia 15 de setembro de 2021 em São Paulo. O método é utilizado para diminuição da sobrevivência do Phakopsora pachyrhizi, mais conhecido como fungo causador da Ferrugem Asiática, nas lavouras do grão.

No Brasil o fungo foi encontrado na safra de 2000/2001 e após duas safras constatou-se sua existência na maioria das regiões produtoras de soja do país.

Desde 2012 no estado é feito o vazio sanitário, a estratégia é aplicada do dia 15 de junho ao dia 15 de setembro. O produtor tem a função de manter o vazio sanitário e eliminar as plantas voluntárias de soja nas culturas subsequentes.

As regiões oeste e sudeste do estado concentram as maiores áreas de produção de soja.

Programa Nacional

O Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da Soja - Phakopsora Pachyrhizi (PNCFS) realizado pela Portaria nº 306, de 13 de maio de 2021, entrou em vigor no 1º de junho de 2021.

“As ações no âmbito do programa são coordenadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), mas a fiscalização e demais procedimentos são delegados a cada Estado. No estado de São Paulo compete à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, fiscalizar o cumprimento das normas durante todo o vazio sanitário”, disse Luis Fernando Bianco, coordenador da Defesa.

A única exceção na legislação é o plantio experimental, destinado à pesquisa científica da soja na vigência do vazio sanitário, contudo o órgão oficial de defesa deve autorizar a técnica na lavoura, além disso estas devem ser monitoradas e controladas durante todo o período do vazio pelo responsável técnico.

Com informações Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Compartilhar

Últimas Notícias