Economia

Inflação aumenta para 0,96% em julho, maior para o mês desde 2002, diz IBGE

Índice foi impulsionado pela energia elétrica

10/08/2021 - 13:00 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

Segundo dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado terça-feira (10) pelo IBGE, a inflação em julho fechou em 0,96% com o reajuste no valor da energia elétrica, registrando o maior resultado para o mês desde 2002 (1,19%). Em julho de 2020, a taxa mensal foi de 0,36%.

Após investigação, oito dos nove grupos de produtos e serviços investigados apresentaram alta em julho. O aumento mais expressivo foi registrado na energia elétrica (7,88%). A alta tarifária foi decorrente a reajustes em São Paulo (11,38%), Curitiba (8,97%) e, em uma das concessionárias de Porto Alegre (9,08%).

“Além dos reajustes nos preços das tarifas em algumas áreas de abrangência do índice, a gente teve o reajuste de 52% no valor adicional da bandeira tarifária vermelha patamar 2 em todo o país. Antes o acréscimo nessa bandeira era de, aproximadamente, R$:6,24 a cada 100kWh consumidos e, a partir de julho, esse acréscimo passou a ser de cerca de R$ 9,49”, explica o analista da pesquisa, André Filipe Guedes Almeida.

A segunda maior contribuição do mês veio dos transportes (1,52%), puxados pelas passagens aéreas, onde os valores subiram 35,22%. O preço dos combustíveis também aceleraram em relação a junho em uma alta de 0,37%.Os índices de alimentos e bebidas também ficaram maiores em comparação a junho, ampliando em 0,17% em julho. 

O grupo saúde e cuidados pessoais foram os únicos que obtiveram queda em julho  de -0,65%. O reajuste foi aprovado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em função da diminuição da utilização de serviços de saúde suplementar durante a pandemia.

“Foi o primeiro reajuste negativo autorizado pela ANS desde a sua criação. Esse reajuste é retroativo a maio de 2021 e vai até abril de 2022, a depender do aniversário de contrato dos beneficiários. Assim, no IPCA de julho foram apropriadas as frações mensais relativas aos meses de maio, junho e julho”, explica André Filipe Almeida.

De acordo com os estudos, todas as áreas apresentaram inflação em julho, dentre as regiões metropolitanas Curitiba (1,60%) registrou o maior e Aracaju(0,53%) o menor índice de reajuste.

Mês de julho em alta no INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu para 1,02% em julho, ficando acima do resultado de junho (0,60%). No ano, o indicador acumula alta de 5,01%. Em julho de 2020, a taxa foi de 0,44%.

O INPC também registrou alta em todas as áreas pesquisadas. O menor índice ficou com Rio Branco (0,61%), e Curitiba registrou a maior variação (1,82%).

​​ IBGE, retorno de coleta presencial de preços

A coleta de preços realizada pelo IBGE desde março está sendo realizada de forma remota, por conta da pandemia e, a partir de julho voltaram gradualmente a serem presenciais, em alguns locais, conforme estabelece a Portaria nº 207/2021.  

 

Com informações Agência Noticia IBGE

Compartilhar

Últimas Notícias