Crime

Fetag-RS apresenta dossiê sobre golpe dos consignados no meio rural

Golpe atinge em sua grande maioria, agricultores e pecuaristas familiares de idade avançada

15/07/2021 - 12:10 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetarg-RS), Carlos Joel da Silva, entregou ao deputado Elton Weber (PSB-RS) na terça (13) um dossiê de quase 300 páginas, que apresenta denúncias relacionadas a empréstimos consignados indevidos e a invasão no sistema do INSS para alterar dados de aposentados e pensionistas com objetivo de desbloquear os créditos.

O golpe atinge, em sua grande maioria, agricultores e pecuaristas familiares de idade avançada.

Foi mostrado no documento que, sem autorização ou requerimento, instituições financeiras depositam valores em contas correntes a títulos de empréstimos.

Também foi comprovada a alteração de dados dos segurados como e-mail de acesso e senha, na plataforma MeuINSS, além de contratos com visíveis sinais de adulteração. 

Em junho, a Fetag entrou com Ação Civil Pública na Justiça Federal e com Representação junto ao Ministério Público Federal.

“A cada dia aumentam as denúncias à federação. Os aposentados chegam a chorar de desespero, sem saber o que fazer. Há situações em que os bancos ou financeiras fazem até três depósitos na conta do aposentado”, revela Carlos Joel da Silva.

O Presidente da Frente da Agropecuária Gaúcha e da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa, o deputado Elton Weber (PSB-RS) ressaltou a gravidade das denúncias, que foram apresentadas em audiência pública da comissão na quarta-feira (14).

“Penso que diante dos fatos, os órgãos de controle já deveriam ter agido. Os primeiros casos foram relatados no ano passado, o INSS sabe o que está acontecendo. Não é possível que nada esteja sendo feito para proteger essas pessoas”.

A Fetag-RS apresentou como proposta, foi aceita pela Comissão, de que todos os benefícios sejam bloqueados para a liberação dos consignados, exigindo a presença física do aposentado e pensionista na agência do INSS ou do banco em que recebe o benefício para que seja realizado o desbloqueio, o que dificulta fraudes.

Também, a Federação exigiu que o INSS assuma sua responsabilidade e proteja os dados que estão em seu poder, evitando acessos não autorizados, além do descredenciamento de agentes que estejam praticando irregularidades e a responsabilização de todos os envolvidos por parte da Polícia Federal.

 

Com informações da Assembléia Legislativa de RS / Foto: Assessoria.

Compartilhar

Últimas Notícias

Mega Leilão Virtual CFM 2021