Pecuária

SP deixa de vacinar 22 mil animais contra a brucelose

Apesar disso, Estado registra novo recorde de imunização contra a doença

14/01/2021 - 10:18 | Por Valdecir Cremon - SBA | Siga-nos no Google News

Mais de 22 mil cabeças de gado deixaram de ser vacinas contra a brucelose, no Estado de São Paulo, no ano passado. Os donos desses animais, agora, não podem vender nenhuma cabeça nem transportar de um sítio para outro, sob pena de serem multados pela Secretaria estadual de Agricultura. 

Mesmo com essa falha, o Estado de São Paulo registrou novo recorde anual de cobertura vacinal contra a doença. Segundo a secretaria, 95,7% das fêmeas, com idade entre 3 a 8 meses, foram vacinadas contra a brucelose. Esse número supera o índice de 2019, que foi de 95,2%. 

A vacinação contra a brucelose é obrigatória no Estado desde 2002 e é feita uma única vez na vida das fêmeas bovinas ou bubalinas, com idade entre 3 a 8 meses. O total de animais vacinados foi de 369.564. Sobre as 22.391 bezerras que deixaram de receber a vacina, a secretaria esclarece que os proprietários precisam regularizar a situação junto ao serviço oficial de defesa agropecuária de são Paulo para poderem movimentar normalmente os animais.

Por ser uma vacina viva, que pode infectar o manipulador a vacinação deve ser feita por um profissional médico-veterinário. Por isso, a secretaria mantém uma lista de profissionais especializados na aplicação da vacina. Essa lista pode ser encontrada no site da secretaria, no endereço www.defesa.agricultura.sp.gov.br

Foto de capa: Divulgação/sp.gov.br

Compartilhar

Últimas Notícias