Pecuária

Bezerro, boi magro, boi gordo e carne renovaram máximas reais em 2020

Arroba do boi gordo chegou próxima a R$ 300 em novembro na série Cepea

01/01/2021 - 10:33 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

Os recordes observados no setor pecuário nacional em 2019 foram renovados em 2020, indica analise do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). As intensas exportações brasileiras de carne bovina, especialmente à China, atreladas à oferta restrita de boi gordo no pasto, evidenciada por dados oficiais indicando menor número de animais abatidos em boa parte do ano, mantiveram os preços de todo o setor em alta no mercado nacional na maior parte de 2020. 

Em novembro, os preços do bezerro, do boi magro, da arroba do boi gordo e da carne atingiram recordes reais nas respectivas séries do Cepea. No caso da arroba bovina, chegou a ser negociada próxima de R$ 300,00 em novembro. 

No entanto, a valorização da arroba não indica que o pecuarista conseguiu margem maior em 2020, já que os animais de reposição (bezerro e boi magro) também operaram em patamares recordes reais das respectivas séries do Cepea em praticamente o ano todo. 

Além da reposição, a forte valorização do dólar em 2020 elevou os preços de importantes insumos pecuários que são importados. Ainda, as cotações de insumos de alimentação, como milho e farelo de soja, também subiram com força ao longo de 2020. No caso da indústria, enquanto as exportações aquecidas e o dólar elevado ajudaram na receita em Reais, as unidades que têm como foco apenas o mercado doméstico se depararam com a matéria-prima em preço recorde e a demanda por carne bovina um pouco enfraquecida. 

O Cepea ressalta que, em boa parte do ano, a população brasileira esteve com o poder de compra enfraquecido, diante da crise econômica gerada pela pandemia de covid-19. Com isso, muitos consumidores migraram para proteínas mais baratas, como suínos, frango e ovos.

 

Informações por Cepea/ Foto de capa por Wenderson Araujo

Compartilhar

Últimas Notícias