Agricultura

Indicador Imea da soja registra queda de 6,57%

Média semanal aumentou 1,45% no contrato corrente

01/12/2020 - 10:19 | Por Douglas Ferreira - SBA | Siga-nos no Google News

De acordo com informações do Imea, a falta de umidade no solo ocasionou o atraso dos trabalhos a campo e impactou na ressemeadura de aproximadamente 2,51% das áreas de Mato Grosso (MT), resultando em mais custos ao agricultor. Esse cenário não representa, necessariamente, redução da produção nestas áreas.

O problema é que os baixos e irregulares volumes de chuva das últimas semanas estão afetando o desenvolvimento da soja em várias regiões, resultando em perda do potencial produtivo em algumas lavouras.

Do modo geral, a soja pode compensar isso caso a chuva “normalizar” nos próximos dias. Levando em conta, entre outros fatores: 1. o maior cultivo de materiais superprecoces neste ano; 2. as falhas de “stand” de plantas em vários locais; e 3. a situação atual de lavouras que já iniciaram o florescimento, espera-se uma redução na produtividade da soja no estado. O Imea recuou em 0,61 sc/ha a estimativa de produtividade de MT.

O indicador Imea registrou queda de 6,57% na semana. Quase não há soja disponível para negócio e muitas empresas estão “fora de mercado”. A firme demanda chinesa e o clima adverso no Brasil e Argentina seguem influenciando nos preços em Chicago.

A média semanal aumentou 1,45% no contrato corrente, ficando cotado a US$ 11,89/bu. Com a retração dos preços da soja disponível no Mato Grosso e a elevação dos preços do contrato corrente na CME-Group, o indicador de base MT/CME teve baixa de 39,27% na semana.

A semeadura da soja chegou à “reta final”. Cerca de 99,65% das áreas já foram implantadas no estado, mesmo patamar do último ano e acima da média das últimas cinco safras.

 

Com informações Imea

Compartilhar

Últimas Notícias