Agricultura

Maior patamar nas cotações de soja desde 2012, indica Cepea

Demanda pela oleaginosa continua em alta no mercado interno e externo

17/08/2020 - 12:14 | Por Redação - SBA | Siga-nos no Google News

De acordo com informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), a demanda pela soja brasileira segue aquecida, tanto pelas indústrias domésticas quanto pelos importadores, sendo verificada, inclusive, certa disputa entre esses compradores por novos lotes da oleaginosa. Segundo pesquisadores da entidade, esse cenário segue elevando os preços e diminuindo a diferença entre os valores pagos no porto de Paranaguá (PR) e na região do Paraná. 

Vale destacar que, nos últimos dias, ambos os Indicadores renovaram as máximas e, agora, estão operando nos maiores patamares reais desde setembro de 2012 (as médias mensais foram deflacionadas pelo IGP-DI de julho/20). Entre 7 e 14 de agosto, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa Paranaguá subiu 3,3%, indo para R$ 127,26/sc de 60 kg na sexta-feira, 14. 

Ressalta-se que há vendedores já ofertando R$ 130,00/sc no porto de Paranaguá. O Indicador CEPEA/ESALQ Paraná avançou 2,8% no mesmo comparativo, chegando a R$ 121,54/sc de 60 kg na sexta-feira. Diante disso, a diferença entre os Indicadores de soja de Paranaguá e do Paraná é a menor desde 2016. 

 

Informações por Cepea

Compartilhar

Últimas Notícias

Leilão Especial Gado de Corte