CNA reúne Grupo Técnico de Sanidade Animal

Foram debatidas questões sobre seguro sanitário para aftosa, próximas etapas do plano nacional de erradicação e o controle na Venezuela

CNA reúne Grupo Técnico de Sanidade Animal

Foram debatidas questões sobre seguro sanitário para aftosa, próximas etapas do plano nacional de erradicação e o controle na Venezuela

Pecuária
Por Esthéfanie Vila Maior - SBA
01/08/2018 às 11h
Reunião aconteceu por videoconferência com as
Federações de Agricultura e Pecuária dos estados

O Grupo Técnico de Sanidade Animal da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu nesta terça-feira (31). Foram debatidas uma proposta de seguro sanitário para a febre aftosa, as etapas do Plano Nacional de Erradicação da doença e uma estratégia emergencial de controle na Venezuela.

“Temos notado uma diminuição no volume de notificações de suspeitas da doença nos serviços de defesa. Caso o produtor tenha algum episódio da doença na propriedade, o seguro sanitário dará a ele a garantia de que não terá prejuízos ao notificar a enfermidade”, disse Decio Coutinho, coordenador do Grupo Técnico.

Sobre as próximas etapas do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa, o coordenador explica que serão elencadas as ações que devem ser desenvolvidas pelo setor privado nos estados que compõem os blocos. “Essas ações precisam ser rapidamente retomadas para que o cronograma de retirada da vacinação em cada bloco seja cumprido”, ressalta. 

O Brasil foi reconhecido como país livre de febre aftosa com vacinação, pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em maio deste ano. Agora, os cinco blocos que compõem o plano estão trabalhando para obter o reconhecimento internacional de área livre sem vacinação. Santa Catarina é o único estado com esse status.

Em relação à criação de uma estratégia emergencial de controle da aftosa na Venezuela, Coutinho esclarece que países sul-americanos estão fazendo um esforço para dar condições de implantar um plano de erradicação. “Brasil e Colômbia têm fronteira com a Venezuela e querem que esse plano seja implantado o mais breve possível. A boa notícia é que, pela primeira, vez o governo venezuelano aceitou receber uma missão do Centro Pan-Americano de Febre Aftosa”, afirma.

Veja também


Comentários


© Copyright 1996-2018 - Sistema Brasileiro do Agronegócio - Todos os Direitos Reservados