Acre e Rondônia devem vacinar contra aftosa pela última vez no ano que vem

Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da doença será discutido na próxima semana

Acre e Rondônia devem vacinar contra aftosa pela última vez no ano que vem

Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da doença será discutido na próxima semana

Pecuária
Por Esthéfanie Vila Maior - SBA
28/09/2018 às 12h
Discussão sobre o PNEFA será entre os dias 1º e 5 de outubro, em Brasília

Os resultados do primeiro ano de execução do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) serão discutidos por integrantes do Departamento de Saúde Animal (DSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de serviços veterinários oficiais (SVO), das Superintendências da Agricultura (SFA) e dos laboratórios oficiais (Lanagros) que fazem a sorologia da aftosa. O encontro será entre os dias 1º e 5 de outubro, em Brasília.

O PNEFA visa criar e manter condições sustentáveis para garantir o status de país livre da febre aftosa com vacinação e ampliar as zonas livres sem vacinação. Atualmente, apenas Santa Catarina é livre sem vacinação. O reconhecimento do país como livre da doença com vacinação ocorreu em maio deste ano, em Paris, durante a reunião anual da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

No último dia 20, o PNEFA completou um ano e tem prazo de execução até 2026. Na avaliação do DSA, o plano está dentro do cronograma previsto e não teve alteração. Com isso, os estados do Acre e de Rondônia, deverão ser os primeiros a fazer a última campanha de vacinação contra a aftosa em maio de 2019.

O Paraná, que está com ações sanitárias adiantadas, pleiteia a antecipação da retirada da vacinação. Ainda neste ano, o Mapa definirá se o estado poderá iniciar a retirada da vacina no primeiro semestre do ano que vem.

Veja também


Comentários


© Copyright 1996-2018 - Sistema Brasileiro do Agronegócio - Todos os Direitos Reservados