Mercado

MAPA realiza estudo para evitar perdas com derivados do coco

Estudo minucioso visa normatização de medidas para a produção nacional

15/03/2019 às 12h   |   Por Adriano Falleiros - SBA

                  Foto: Divulgação   

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, disse que seu ministério realiza estudos minuciosos para atender demanda relacionada à normatização de medidas para a produção de derivados do coco. O anúncio foi feito durante reunião nesta quinta-feira (14) com dirigentes da Associação Nacional de Produtores de Coco (Abracoco) e representantes do setor.

A medida foi tomada após a ministra receber pedido para que seja padronizada a industrialização garantindo maior qualidade ao setor. Uma das alegações é de prejuízos causados, principalmente, pela entrada de produtos importados da Ásia no Brasil. Em razão disso, os produtores estariam diminuindo as áreas destinadas à plantação do fruto.

Dados do Instituto Brasileiro de Geogarfia e Estatítica (IBGE) mostram que houve redução de 38 mil hectares na área de plantio entre os anos de 2012 e 2018.

Tereza Cristina se mostrou solidária com as reivindicações e disse que tem ouvido as reclamações apontadas pelos produtores. A ministra explicou que sua pasta desenvolve trabalho minuciosopara promover modernização de normas. “São fazendo pequenas coisas que geram grandes resultados. As mudanças incluem modernização de regras e abandono de práticas antigas e defasadas”.

Projeções do mercado mundial apontam a expectativa de que o mercado internacional de derivados de coco movimente US$ 11,5 bilhões. O presidente da Abracoco, Reinaldo Ribeiro, quer que o setor se organize no Brasil para e esteja preparado para esse mercado.

O Brasil é um dos maiores produtores de coco do mundo, com destaque para a região Nordeste, que representa 80% da produção. Todos os anos, 1,6 bilhão de frutos chegam ao mercado em forma de água.

 


Últimas Notícias

Comentários