Clima

Inverno começa nesta sexta-feira com probabilidade de El Niño

​​​​​​​Confira prováveis impactos causado pelo fenômeno por região

20/06/2019 às 16h   |   Por Jorge Zaidan - SBA

Começa nesta sexta-feira (21/6) o inverno de 2019. A nova estação pode manter a presença do fenômeno El Niño no período. A previsão é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O inverno termina em 23 de setembro

A possibilidade de mais tempo de permanência do El Niño é de 50%. O fenômeno deverá se estender até meados da primavera.

Segundo o Inmet, o fenômeno resulta em aumento de 0,5ºC na temperatura, mas, “desde meados da primavera até a primeira quinzena deste mês, a anomalia de temperatura das águas do Oceano Pacífico Equatorial vem apresentando valores acima de 0,5ºC, o que caracteriza um fenômeno El Niño de fraca intensidade”, destaca o relatório do Inmet.

Acompanhe prováveis impactos do fenômeno nas regiões brasileiras. Em algumas áreas, produz secas extremas e, em outras, eleva as temperaturas.

Norte

De julho a setembro - temperatura média do ar permanece dentro da média e acima, principalmente no sudeste paraense. As condições de falta de chuvas, alta temperatura e baixa umidade relativa do ar. Não está descarta a ocorrência de eventuais episódios de friagens no Sul desta região.

Nordeste

Predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas dentro ou abaixo da climatologia, principalmente sobre a costa leste, onde o período chuvoso aproxima-se do final. Na maior parte da região, a temperatura permanecerá próxima à média, enquanto que no interior inicia-se o período seco e a previsão é de temperaturas ligeiramente mais altas e baixos índices de umidade relativa, principalmente no sul do Piauí e no oeste da Bahia.

Centro-Oeste

Tendência é de diminuição da umidade relativa do ar nos próximos meses, com valores diários que podem ficar abaixo de 30% e picos mínimos abaixo de 20%. A previsão para o inverno indica alta probabilidade das chuvas ocorrerem dentro a ligeiramente abaixo da média climatológica em grande parte da região, com temperaturas acima da média, devido à permanência de massas de ar seco e quente, principalmente nos meses de agosto e setembro.

Sudeste

O trimestre de junho a agosto corresponde ao período mais seco da região, especialmente no norte de Minas Gerais. As chuvas devem permanecer dentro a ligeiramente acima da média, principalmente em setembro, no sul de São Paulo. Já as temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte da região, podendo haver declínio acentuado de temperatura em locais mais elevados, devido à passagem de massas de ar frio mais continentais.

Sul

As chuvas ocorrerão acima da média em grande parte da região. A maior frequência das frentes frias contribuirá para maiores variações nas temperaturas ao longo deste trimestre. Porém, as temperaturas médias devem permanecer acima da média climatológica, exceto na metade sul do Rio Grande do Sul e leste de Santa Catarina, onde o inverno deverá ocorrer dentro da normalidade com temperaturas mínimas podendo atingir valores abaixo de 0ºC em áreas serranas e planalto, principalmente no mês de julho.

Legenda: Seca no Brasil. Foto: Agência Brasil


Últimas Notícias

Comentários