Economia

Exportação de carnes brasileiras para China registra alta em maio

Números refletem ocorrência da Peste Suína Africana e tendem a se manter durante todo o ano

04/06/2019 às 17h   |   Por Adriano Falleiros - SBA

Os embarques de proteínas bovina, de frango e suína registraram saltos entre 10% e 42% em volume e entre 10% e 58% em receita no mês de maio de 2019, ante o mesmo período de 2018. Os dados de exportação de proteína animal pelo Brasil, referentes a maio, foram divulgados na segunda-feira (3) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia e consideram 21 dias úteis.

O aumento reflete a ocorrência da peste suína africana (PSA) na China, que contribuiu para impulsionar os embarques de carnes do Brasil.

Com milhões de suínos doentes descartados no continente asiático por causa da doença, a tendência é de que os embarques continuem em alta ao longo do ano. Em comparação com abril deste ano também houve crescimento, principalmente em relação à carne suína brasileira.

Os números antecedem o recente caso atípico de mal da vaca descoberto no Mato Grosso e que levou o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) a suspender as exportações de carne bovina para a China até que as autoridades sanitárias do país asiático avaliem a documentação sobre o caso enviado pelo governo brasileiro.

As vendas externas de carne suína in natura alcançaram 58,1 mil toneladas, alta de 41,7% ante as 41 mil toneladas embarcadas em maio de 2018 e 13,92% maiores quando comparadas ao total de 51 mil toneladas registrado em abril. A receita somou em maio US$ 131,6 milhões, avanço de 58,55% ante igual mês do ano passado, de US$ 83 milhões, e 19,31% superior aos US$ 110,3 milhões de março.

O preço médio também foi impulsionado pela elevação na demanda externa e atingiu US$ 2.265,30 por tonelada, incremento de 11,86% na variação anual e de 4,77% ante o mês anterior.

Os embarques de carne bovina in natura somaram 121 mil toneladas, crescimento de 33,7% ante as 90,5 mil toneladas enviadas ao exterior em maio do ano passado. Já em relação a abril, o resultado representa avanço de 10,2%. Em receita, foram obtidos US$ 470 milhões, avanço de 23,85% ante os US$ 379,5 milhões de um ano antes e de 13,06% na variação mensal.

Foto: Divulgação

As exportações de carne de frango in natura atingiram 345,9 mil toneladas, volume 9,95% maior que as 314,6 mil toneladas vendidas em maio de 2018. Na variação mensal, houve alta de 10,83% ante as 312,1 mil toneladas registrados em abril. O faturamento somou US$ 588,3 milhões, 22,38% superior aos US$ 480,7 milhões registrados em igual período de 2018, e 17,85% maior ante a receita de US$ 499,2 milhões de abril.

Com informações do Estadão


Últimas Notícias

Comentários