Pecuária

Cotação do suíno fecha com maior média real desde dezembro/17

Alta foi registrada no mês de março

04/04/2019 às 14h   |   Por Karine Pegoraro - SBA

Imagens: Divulgação

As cotações do suíno vivo e também da carne fecharam o mês de março em alta, devido o aumento da demanda interna e externa, e também pela maior oferta de animais prontos para o abate.
Os preços médios do vivo nas regiões de Bragança Paulista, Campinas, Piracicaba, São Paulo e Sorocaba, a conhecida SP-5 e de Belo Horizonte, Minas Gerais, fecharam março com os maiores patamares desde dezembro de 2017, segundo o Centro de Estudos Avançados, o Cepea. Na região SP-5, o preço médio do suíno foi de R$ 4,21/kg, alta de expressivos 11,3% frente ao de fevereiro – em dezembro/17, a média real do vivo foi de R$ 4,27/kg. Em Belo Horizonte, no mesmo comparativo, a elevação foi de 9,5%, com o animal negociado na média de R$ 4,25/kg – em dezembro/17, a média foi de R$ 4,41/kg.
A alta das vendas no mercado internacional veio diretamente ligada a gripe suína na China, o que aumentou também a liquidez do produto no mercado financeiro. Segundo o Cepea, além disso, a redução dos plantéis e a saída de agentes da atividade ao longo do último ano têm reduzido a oferta doméstica dos animais, contribuindo para alavancar os preços.


Últimas Notícias

Comentários